STAUROS

23/11/2012 17:51

STAUROS (cruz em grego) é uma banda de Heavy metal, que surgiu no inicio dos anos 90's e conquistou vários fãs tanto no meio cristão como no secular. Sua última formação tinha Celso de Freyn nos vocais, Alessandro Lucindo e Renatinho nas guitarras, Elias Vasconcelos no baixo e Edinho na bateria.

O STAUROS surgiu quando a "parte pop" da banda Santaterra (que fazia cover de diversas bandas cristãs do país) sai do grupo, que decide adotar um estilo um pouco mais rock. A banda é bem aceita em um festival de música em Santa Catarina e troca o seu nome pra STAUROS. No mesmo ano de 1995 o grupo grava seu primeiro cd, intitulado "Vento Forte".

Em 1996, Renatinho deixa os vocais a cargo de Celso de Freyn e passa a se dedicar exclusivamente a guitarra. O grupo assina contrato com a Gospel Records e em 1997 lançam o segundo disco, "Sentido da Vida", que pode ser considerado o primeiro disco de metal cristão no Brasil. O lançamento é seguido por uma turnê no pais inteiro e o no exterior com reconhecimento pela imprensa especializada e com musicas incluídas na compilação da revista “Heavens Metal Magazine”.

Em 1998, Celso de Freyn deixa a banda, e é substituído pelo tecladista César. Esse é o inicio da melhor fase do grupo, começando por abrir o show da banda Bride, e lançando os discos Seaqueake e Adrift. Em Seaquake o português é trocado pelo inglês como idioma das letras, e as do baxista Venâncio Domingos ganham em especial uma profundidade única, que continuaria no próximo disco. Além das mudanças nas letras, o som se torna mais pesado com uma qualidade técnica superior, principalmente por parte do guitarrista Renatinho, músicas como Seaquake, Friendly Hand e Vital Blood tornam-se verdadeiros clássicos.

Adrift, lançado em 2001, segue a mesma linha do disco anterior. Recebe maior reconhecimento da imprensa, que curiosamente o grupo afirma no agradecimento do disco fingir que a banda não existe. O disco é comercializado também em lugares como Argentina, Estados Unidos, Europa e Japão. A formação da época de 1998-2002 era: César (Vocais), Renatinho (Guitarras), Alessandro (Guitarras), Venâncio (Baixo) e Alessandro (Bateria).

A divergência de pensamentos entre os membros gera a saída de Venâncio (baixista), Alê (baterista) e César (vocal), somente restando os guitarristas Alessandro Lucindo e Renatinho. Nessa época, o antigo vocalista Celso de Freyn volta a banda e para subistituir Venâncio no baixo Elias Vasconcelos (ex-Deliver) em 2003 é lançado o EP "Marcas de um Tempo". As letras das canções do disco foram compostas em português, seguindo a linha antiga da banda, antes do álbum Seaquake. Foi o último trabalho da banda, que em 2005 eventualmente viria a terminar suas atividades. Após nove anos de carreira, o grupo dissolve-se em 2005. No sítio oficial da banda, alegaram que por direção de Deus, encerrarem as atividades da banda.

No ano de 2008, para a surpresa de muitos fâs, uma ponta de esperança começa a surgir: em alguns fóruns e comunidades na internet surge a notícia do lançamento de um novo EP da banda "Praise" e em 2010 consequêntemente o full-lengh com o mesmo título.

O anúncio em 2002 da saída de três integrantes, e o final iminente do STAUROS sempre foi algo surpreendente: a banda vinha de dois álbuns bem sucedidos com distribuição em todo Brasil, participava de coletâneas internacionais, fazia seus primeiros concertos fora do país, convidada para participar de grandes festivais e com uma agenda de shows regular. O fato nunca foi absorvido pelo público.

O hiato de 10 anos dessa formação chegou ao fim. Algumas conversas foram alinhando um encontro entre os integrantes, e a proposta e os posicionamentos foram se afinando, e o desejo de fazer algo a mais com STAUROS ficou maior que todas as dificuldades que se apresentavam. Não que houvesse uma briga ou arestas a serem aparadas –– isso era claro para quem conhecia o Stauros de perto ––, o que surpreendia ainda mais o rompimento.

Hoje o momento é outro. Todos nós estamos mais maduros em relação a um dia a dia de uma banda, e muitas coisas mudaram nesses dez anos. Por incrível que possa parecer, a base de fãs só aumenta, e o amor das pessoas pelo nosso trabalho se manteve intacto. Sempre foi muito difícil lidar com isso e não ter como retribuir; com certeza, uma das grandes motivações para a volta.
É certo dizer que o grupo não voltou exatamente na mesma página que parou, pois o STAUROS seguiu em frente com os irmãos Lucindo, e os outros integrantes vivenciaram outras experiências musicais. Mas aquele ponto de fusão de ideias e ideais nunca foram superados, e para esse desafio gigante que se encontra de pé à frente: a banda prepara uma nova pedrada. Sim, porque o Stauros pensa em reinventar as próprias ideias em novas composições, cheios daquela energia que motivou os álbuns Seaquake (2000) e Adrift (2002).

Liricamente, o STAUROS tinha uma linguagem que fugia aos padrões da época. As vivências decodificadas não interessaram –– não nessa fase: a ideia sempre foi ser provocante e instigante, trazendo questionamentos pessoais, falando de tudo e a todos à sua volta. Não se buscava conforto e nem águas tranquilas. Não se chegou a essa fórmula pesquisando e planejando, e sim, vivendo. O desafio se torna ainda maior, porque como novidade para o novo álbum, a língua adotada será o nosso bom e velho português.

Para fundamentar a volta, o STAUROS está aliado ao Estúdio Play Records, que está preparando um conjunto de ações que prometem lançar o STAUROS para além de onde ele estava quando a formação se desprendeu. As redes sociais oficiais estarão linkadas diretamente ao desenvolvimento do novo repertório, ensaios, gravações, entrevistas e etc. Além de lançamento de singles e vasto material promocional. Um canal de vídeo foi preparado especialmente para divulgação de todo material do STAUROS.


Formação:

Carlos César (Vocal)

Alessandro (Guitarra)

Renatinho (Guitarra)

Venâncio Domingos (Baixo)

Alê Verner (Bateria)


Internet:

Youtube: http://www.youtube.com/staurosoficial

E-mail: http://www.youtube.com/staurosoficial


Discografia: